Home » Nutrição » Vale a pena fazer a dieta da proteína?

Vale a pena fazer a dieta da proteína?

Uma fórmula mágica, que faça perder os quilos indesejados em pouco tempo: quem não quer? Para tentar suprir essa ânsia de emagrecimento rápido e “fácil”, há várias dietas disponíveis, algumas feitas por especialistas, outras criadas por pessoas sem nenhum estudo técnico. A adesão costuma ser rápida e em pouco tempo há milhares de pessoas, pelo mundo todo, fazendo o novo “regime milagroso”. Dentre os da moda, está a dieta da proteína, você conhece?

Como funciona a dieta da proteína

carnes_churras_proteinaA dieta da proteína consiste em cortar a ingestão de carboidrato e passar a comer só proteínas e gordura. Nela, é permitido começar o dia comendo linguiça e terminar com um bom bife, sem sair do cardápio.

Quem lançou essa forma de perder peso foi o Dr. Atkins. Rapidamente, essa dieta se espalhou pelo mundo e virou uma das mais feitas por pessoas de diversas idades. Quando os famosos começaram a aderir, a febre da dieta das proteínas se tornou ainda maior.

Quem fez garante que perdeu peso. Isso é perfeitamente explicável, pois ao parar de ingerir carboidrato, o organismo não tem essa energia rápida dada pelas massas e doces, para se manter. Assim, acaba tendo que fazer uso da gordura do corpo para fornecer energia para os órgãos.

Outro ponto que faz com que a ingestão da proteína ajude na perda de peso é que a digestão dela é mais demorada, garantindo a sensação de saciedade por mais tempo.

De acordo com as informações dadas pelo idealizador, o fato de comer só proteínas diminui a produção de insulina e, consequentemente, evita a compulsão por doces. Com isso, emagrecer acaba ficando mais fácil.

Ficou interessado nesta dieta? Então se prepare para começar a comer ovos e café sem açúcar pela manhã e fazer o lanche matinal comendo presunto e queijo a vontade. No almoço, frango, carne, peixe, desde que não sejam empanados, pois o carboidrato está proibido. Alface para acompanhar. Esqueça o arroz e feijão, pois são carboidratos e não são permitidos. Na janta, pode repetir o almoço e, se ficar com fome no intervalo, pode cozinhar um ovo ou comer um bife. Gostou?

Calma, nem tudo é bom na dieta das proteínas!

Para começar, comer só carne nos primeiros dias pode até ser bom, mas depois de uma semana, é bem difícil ficar sem frutas e outros alimentos que são fontes de carboidratos e não podem ser consumidos.

A alimentação é pouco variada e isso não é bom para a nutrição. Com o tempo, começam a faltar itens essenciais para o bom funcionamento do organismo, como é o caso das vitaminas. Por isso, é necessário acompanhamento profissional para que a suplementação de vitaminas seja feita corretamente.

Pessoas que têm alguma doença, como diabetes e hipertensão, devem obrigatoriamente ter acompanhamento médico. O corte de ingestão de carboidratos vai interferir diretamente na produção de insulina e na aplicação deste hormônio pelos diabéticos. Já no caso dos hipertensos, a ingestão de gordura da carne pode acabar sendo um agravante, principalmente se as carnes forem muito salgadas. O sal aumenta a retenção de líquido e faz com que a pressão suba.

Muitas pessoas começam a ter problema com prisão de ventre, pois a ingestão de fibras é menor e o intestino passa a não funcionar direito. O raciocínio também é prejudicado, visto que o cérebro precisa de glicose para funcionar bem e ela é eliminada bruscamente da dieta.

Por fim, a dieta das proteínas pode aumentar triglicérides (gordura ingerida de origem animal pode alterar os níveis de colesterol sanguíneo – LDL e, consequentemente o de triglicerídeos) e agravar problemas renais. Os rins eliminam os produtos do metabolismo da proteína como a ureia, a amônia e os resíduos nitrogenados. Quem já tem problema renal, se fizer a dieta da proteína, pode sobrecarregar ainda mais os rins.

Assim como qualquer dieta, a das proteínas só deve ser feita com indicação e acompanhamento médico. Agende uma avaliação com nossa nutricionista e veja o que é melhor indicado para você!

Notícias Relacionadas


segunda-feira, 28 de setembro de 2015 | Nutrição


Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

*